Lajes pré-fabricadas de concreto têm nova norma

laje pré-fabricada de concreto

As lajes pré-fabricadas foram tratadas como sistema construtivo (Dmitry Kalinovsky/shutterstock.com)

Processo de revisão da ABNT NBR 14859 resultou em texto que facilita a compreensão sobre definições técnicas e aplicabilidade



Já estão em vigor, desde o final de fevereiro de 2016, as três primeiras partes revisadas da ABNT NBR 14859 – Lajes pré-fabricadas de concreto. Os textos apresentam os requisitos para fabricação, recebimento e utilização dos componentes empregados na construção de lajes em qualquer tipo de edificação, excluindo-se os painéis protendidos. “Efetivamente, o trabalho de atualização durou seis anos e envolveu, de maneira direta ou indireta, mais de 100 profissionais, todos especialistas em suas respectivas áreas de conhecimento. Por isso, é possível afirmar que se trata de uma comissão com elevada capacitação técnica”, destaca José Bento Ferreira, coordenador da Comissão de Estudo Especial de Laje Pré-Fabricada, Pré-Laje e de Armaduras Treliçadas Eletrossoldadas (CEE-94).

O processo de revisão da norma de lajes pré-fabricadas de concreto se baseou na análise das características do sistema construtivo e na fragmentação dos parâmetros técnicos aplicados à solução. Uma campanha de ensaios laboratoriais foi realizada para responder dúvidas que existiam sobre diferentes assuntos. “Com essa abordagem meticulosa, foram levantados fatores relevantes que necessitavam atenção. Por exemplo, foi introduzido o conceito de desempenho na parte 2, que trata de elementos de enchimento, para atender aos requisitos de modularidade definidos pela ABNT NBR 15873 – Coordenação modular para edificações”, diz Ferreira.

DIVISÃO DO TEXTO

O trabalho de revisão da norma dividiu os textos em partes, o que não ocorria na versão anterior. As lajes pré-fabricadas foram tratadas como sistema construtivo, possibilitando que a organização da norma fosse feita de maneira mais sistemática. Essa nova separação tornou mais fácil a compreensão de definições técnicas e aplicabilidade da solução.

Nesse primeiro momento, foram publicadas apenas as três primeiras partes da ABNT NBR 14859 – outras três estão sendo preparadas. Quando estiver completa, a norma abrangerá todos os aspectos relativos às lajes pré-fabricadas de concreto, desde a produção dos componentes, até os cálculos estruturais que o sistema exige. As três partes em vigor abordam requisitos referentes às vigotas, minipainéis e painéis; os elementos inertes para enchimento e fôrma; e as armaduras treliçadas eletrossoldadas. “É importante destacar não só o trabalho em conjunto da atual comissão, mas também a atuação do grupo que elaborou os textos iniciais, publicados em 2002”, ressalta o coordenador.

QUALIDADE

A opção por separar a norma em partes tem como objetivo principal assegurar a qualidade do produto final. “O texto representa uma oportunidade de evolução para os fabricantes e, também, para todos os envolvidos no processo executivo”, avalia o coordenador.

As lajes pré-fabricadas de concreto já contam com o seu Programa Setorial da Qualidade (PSQ), indutor da substituição do processo produtivo artesanal pelo mecanizado, o que garante maior homogeneidade do sistema construtivo e melhor controle tecnológico. Para o coordenador, atualmente, aumentou a busca por empresas idôneas que ofereçam soluções de qualidade.

“É interessante salientar que o PSQ, mesmo se valendo das normas anteriores à revisão, obteve resultado positivo. Isso demonstra a necessidade não apenas de normas, mas também de iniciativas que permitam a transmissão de conceitos para os produtores e também aos usuários do produto ou sistema”, finaliza Ferreira.


Fonte: AECWeb

Comentários